Generated by Apycom DHTML Menu Tuner.

PERCURSOS

NORMAS E CONDUTA

-

Seguir somente pelos trilhos sinalizados

-

Cuidado com o gado. Embora manso não gosta da aproximação de estranhos às suas crias

-

Evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz local

-

Observar a fauna à distância preferencialmente com binóculos

-

Não danificar a flora

-

Não abandonar o lixo, levando-o até um local onde haja serviço de recolha

-

Fechar as cancelas e portelos

-

Respeitar a propriedade privada

-

Não fazer lume

-

Não colher amostras de plantas ou rochas

-

Ser afável com os habitantes locais, esclarecendo quanto à actividade em curso e às marcas do PR


 

SINALÉTICA

Caminho Certo Caminho errado
Para a esquerda Para a direita

PR1- CAMINHOS DO MONTEMURO

mapa do percurso Passo a Passo


Sai do Santuário da Sra. Do Monte por um caminho florestal que se inicia no largo em frente ao portão daquele, indo pela curva de nível, quer dizer, não sobe nem desce...
Passado um quilómetro encontra-se numa portela (Fojo) onde há cinco caminhos. Aqui pode optar-se: ou se vai pelo da esquerda, por Bustelo, para Norte, ou se segue em frente, para Nordeste. Esta é a opção aconselhada.

Segue-se, então, em frente por uma cumeada. O caminho esta marcado com marcas amarelas e vermelhas. É só segui-las.

Um pouco adiante avista-se uma antena que fica à direita do caminho. Daqui já se tem uma bela vista, quer sobre Bustelo, quer sobre os vales do lado esquerdo e do lado direito.

Continuando, o percurso segue por um caminho tradicional e antigo, a meia encosta sobre o Vale do Ribeiro de Bustelo, com Noninha ao fundo, com os seus telhados de xisto, rodeada por courelas em socalcos verdejantes.

Logo a seguir atinge-se um estradão feito para construção do parque eólico. Segue-se para a esquerda. Ao atingir uma bifurcação continua-se pelo estradão da direita. Imediatamente antes, pode-se observar, à direita, um menir. Continuando a marcha, rapidamente se atinge uma estrada calceteada com paralelos, que se encaminha para a capela de S. Pedro do Campo. Atingida essa estrada, e percorrida no sentido descendente, durante cerca de 150 m , encontramos, à esquerda, uma ponte de água fresca, para reabastecer o cantil e para refrescar o caminhante.

Descanse-se em S. Pedro, pois que a jornada até aqui foi de 7km. Depois de recuperar forças, encaminha-se o pedestrianista para o Marco Geodésio da Pedra Posta, também conhecida como Pedra Alçada. Este é o ponto mais alto do Concelho de Arouca e um dos pontos mais altos deste recanto da Serra de Montemuro (1222m).

Chega-se aqui por um estradão que sai de S. Pedro até a uma portela seguindo-se depois por um caminho à esquerda na direcção de uma antena que aparece do lado esquerdo. Encontrada outra bifurcação toma-se o trilho da direita. É só seguir as marcas. Atinge-se finalmente a Pedra Posta. Daqui avista-se o vale de Nespereira para oeste, Serra do Marão para Norte, a Serra da Freita para Sudoeste, a Serra da Arada a Sul, etc. A vista que daqui se alcança perde-se nas brumas do horizonte. Temos então percorridos 10km.

A descida é, inicialmente, por caminho bem definido e depois por trilhos de pastores, de qualquer maneira bem trilhados. Atingido um caminho na cumeada, para Sudoeste, continua-se por ele até Noninha, que aparece, agora do lado esquerdo, no fundo do vale. Após atravessar o ribeiro de Bustelo, entra-se na Aldeia.

Quando se atingir a estrada asfaltada, a uns 30m, toma-se uma calçada que desce suavemente pela direita. Era o antigo caminho que ligava Noninha a Bustelo, agora só utilizado para o acesso aos campos. Continua-se por ele, atravessa-se outra vez o Ribeiro de Bustelo, atravessando-se de novo, logo a seguir, por um sólido e recente pontão de betão. Aconselha-se uma breve paragem no café local para uma bebida fresca ou para um petisco. Continuando a jornada, é só seguir o antigo caminho que passando perto da capela de Bustelo (coberta de xisto) segue para a Sra. Do Monte. Atingido o Fojo – por onde já se passou anteriormente – segue-se agora à direita para o Santuário. Chegada.


Alvarenga

Já foi sede de concelho, passando a integrar o concelho de Arouca, a partir de 1836. No centro da povoação de Trancoso estão implantados o Pelourinho, datado de 1590 e a antiga Câmara, do ano de 1520.

Alvarenga, para além dos seus atractivos naturais, é também conhecida pelo famoso “bife” e pela “vitela” que, só por si, valem a visita.

 


Srª do Monte

Sai do Santuário da Sra. Do Monte por um caminho florestal que se inicia no largo em frente ao portão daquele, indo pela curva de nível, quer dizer, não sobe nem desce...

Passado um quilómetro encontra-se numa portela (Fojo) onde há cinco caminhos. Aqui pode optar-se: ou se vai pelo da esquerda, por Bustelo, para Norte, ou se segue em frente, para Nordeste. Esta é a opção aconselhada.
 


BLOCO DE NOTAS

Partida e Chegada: Sra do Monte, Alvarenga
Âmbito: Desportivo, cultural, ambiental e paisagístico
Tipo de Percurso: De pequena rota, por caminhos rurais e de montanha
Distância a percorrer:19km – circular
Duração do percurso:Cerca de 6h
Nível de dificuldade:Médio/alto
Desníveis:Um grande desnível ascendente e um grande desnível descendente
Época aconselhada: Todo o ano

  Topo