Home seta Turismo seta Percursos Pedestres seta Nas Escarpas da Mizarela
 
PR 7 Nas Escarpas da Mizarela PDF Imprimir e-mail

Descrição do Percurso

Este percurso inicia-se no parque de lazer fronteiro ao parque de campismo do Merujal, através de um caminho que se dirige à Mizarela.

Chegando à Mizarela, passa-se pelo miradouro e prossegue-se descendo pela estrada de acesso à aldeia da Ribeira. 300 metros abaixo do miradouro, vira-se à esquerda, por um carreiro, entre um carvalhal, com vista soberba sobre a Frecha da Mizarela.

Seguindo este carreiro, toca-se mais a baixo, numa curva, a referida estrada de acesso à aldeia da Ribeira que, logo de seguida, se deixa para continuar por outro carreiro, que desce abruptamente por entre escarpas com a bela cascata da ribeira da Castanheira, do lado de lá, em escadaria.

Chegando ao ponto de confluência desta com o rio Caima, o caminho torna-se suave e, pela margem esquerda do rio rapidamente se chega à aldeia da Ribeira.

Image

Esta aldeia, é constituída por um pequeno aglomerado de casas onde, ainda, resistem dois moradores que vão amanhando os pequenos campos, suportados por socalcos que dão à paisagem um cunho humanizado de singular beleza.

Passada a aldeia, atravessa-se o rio num pequeno pontão – aconselha-se a passar somente duas pessoas de cada vez – rumando-se à esquerda por um trilho que, subindo ao longo da margem direita do rio, chega à ribeira da Castanheira, acompanhando-a. Transposta esta, atinge-se a crista da escarpa leste e rapidamente se chega à ribeira dos Cabaços e à escola de escalada.

Após a passagem de um colo toca-se o PR15, já junto à estrada de asfalto, que se toma à esquerda, chegando-se à aldeia da Mizarela. Aqui retoma-se o caminho do parque de merendas e do parque de campismo, onde se iniciou.

Image

Serra da Freita

A Serra da Freita, constitui, com a da Arada e do Arestal, o maciço da Gralheira. Com picos que ultrapassam os 1000 metros de altitude é dominantemente recoberta por um manto de plantas e arbustos rasteiros entrecortado, sobretudo junto às linhas de água, por típicos corredores de folhosas e, aqui e além, por manchas de resinosas. Compõem o referido manto vegetal a urze, a giesta, o tojo, a carqueja, para além de muitas outras espécies, que conferem às encostas da Serra, durante a Primavera, um intenso colorido amarelo, primeiro, e multicor, depois, transformando o belo agreste serrano numa paisagem de sonho. A Freita é também habitat de espécies vegetais extremamente raras que obrigam todos os que a fruem a terem os maiores cuidados, de modo a evitar a sua extinção. A sua fauna é também muito diversificada, nela se realçando o Javali, a Águia de Asa Redonda, o Gato Bravo e, cada vez mais raro, o Lobo Ibérico.

Rio Caima

O rio Caima inicia-se na Serra da Freita, a nascente da aldeia de Albergaria da Serra, próximo do Junqueiro, onde se dá a junção de vários riachos e linhas de água que nascem, borbulhando, misteriosamente, do ventre do planalto e por este escorrem até confluírem num só. Com uma extensão de cerca de 50 Km, corre por entre relevo áspero e imponente, despenha-se das escarpas da Mizarela, prossegue por sucessivas e belíssimas cascatas até ao lugar da Ribeira, cujos campos, em socalcos, rega e daí prossegue até entrar no Município de Vale de Cambra e, depois, no de Oliveira de Azeméis, regando terras e movendo fábricas, até entregar as suas águas, no Rio Vouga, em Sernadas, Albergaria-a-Velha. Ao longo do seu curso, na descida da Serra, recortando a paisagem, cavou vales profundos e encaixados, cobertos de espesso arvoredo, grande parte dele autóctone. Nele desaguam as belas, rebeldes e tumultuosas ribeiras dos Cabaços e da Castanheira, as quais engrossam, em muito, o seu caudal.

Aldeia da Mizarela

Pequena aldeia pertencente à freguesia de Albergaria da Serra. É seu principal atractivo, para além do Rio Caima, a Frecha da Mizarela, que aí se forma. Uma das quedas de água de maior altura da Europa, com mais de 60 metros, que, sobretudo em determinadas épocas do ano, proporciona ao visitante um cenário de excepcional beleza. Para os amantes dos desportos de aventura, as suas escarpas são um óptimo local de escalada, servindo, muitas vezes, para a respectiva iniciação e como preparação para provas mais arrojadas.

Aldeia da Ribeira

Na margem direita do rio Caima, encontra-se a secular, recôndita e bela aldeia da Ribeira, pertencente também à freguesia de Albergaria da Serra. Nesta pequena aldeia é possível contemplar ainda alguns moinhos de água, que no passado trabalhavam dia e noite para dar alimento a todos os habitantes do planalto que, por falta de água na época estival, se viam impedidos de moer o seu pão.  As suas casas, construídas, em grande parte, com materiais da região, dissimulam-se suavemente em toda envolvente natural e construída, dando, do conjunto, uma imagem de grande beleza.

Total do percurso – 8.000 metros

Duração do Percurso – 3h30m

Desníveis - Descidas e subidas de forte inclinação

Nível de dificuldade – Médio/Alto

 

Altitudes

Parque de Campismo – 890m
Mizarela – 915m
Miradouro natural – 800m
Ribeira – 650m
Escola de Escalada – 960m
Desníveis acumulados – 680m

Partida e chegada – Parque de campismo do Merujal

Consulte o Folheto do PR7 - «Nas Escarpas da Mizarela»

 
 
 
Regeneração Urbana
 
Em Arouca Acontece
 
Blogue do Ambiente
 
Portal SIGA

 
Portal do Cidadão Surdo

 
Arouca no Google Earth

 
Inquérito online
 
 
 
© Câmara Municipal de Arouca | Desenvolvido por [+|-] Energica